Se sentir bem com o corpo independe de estar MAGRA

adult-back-bare-235496

“Eu olho as fotos de antigamente, que eu me achava gorda, e vejo o quanto eu estava bem e não sabia!” 

“Eu quero estar bem com meu corpo”. E mais cedo ou mais tarde, surge a popular expressão “me sinto gorda“,atrelado a esperanças de melhora na autoestima com o emagrecimento. Essa é uma frase comum que escuto no consultório. E precisamos entender o que há por trás desse sentimento.

Vamos refletir sobre o que anda acontecendo:

1)A exigência para estar bem parece sempre ser adiada, né? Porque falta a barriga, porque falta o vão entre as coxas, porque falta o braço…Porque (pásmem!) a bochecha. Parece que é sempre um quase.

2) Muitas pessoas notam que já estavam magras antes e, não resolveu os problemas da vida estar magra por que…? “Porque eu ainda tenho que que emagrecer mais.Ainda não foi o suficiente.” Certo?

É….Quase. Mas continua sendo insuficiente. Com mais ou menos peso. Insuficiente.

Então temos um embaraço de lãs coloridas todas juntas e misturadas. E agora, nutri?

novelo
Err…Por onde começar?

O primeiro passo é não agir no pico do desespero. Porque o impulso com pessoas com insatisfação corporal, quando vem as preocupações com o corpo, vem preocupação com a comida. Aí vem aquela antiga voz dizendo: “volta pra dieta! Depois que você perder 2, 3 quilinhos você volta a focar nisso”.

Essa é uma medida que eu chamo de medida-analgésica. Tipo os paracetamol, ibuprofeno da vida que quando aquela dorzinha chata aparece de vez em quando a gente faz ela sair de cena com uma coisinha (no caso, uma dietinha). Mas a dor volta depois de um tempo, assim como a insatisfação e, talvez, o peso, né? …

Concluímos que continuar como o analgésico, dieta também não vai resolver. Porque se resolvesse, você nem estaria lendo esse texto.

O segundo passo é enfrentar essa leoa ferida que habita em você. Os principais fatores que se misturam a tudo isso são questões envolvendo a baixa autoestima, dificuldade em tolerar sentimentos desagradáveis ou eventos de mudança. Além, claro, das questões da nossa cultura que cobra um peso, um aparência.

Tá na hora de enfrentar. De se convidar para um profundo mergulho em si. Somos capazes de melhorar a nossa autoavaliação como pessoa. Somos capazes de aprendermos a lidar com frustração. Somos capazes de escolher ceder ou não aos caprichos da sociedade. E reconexão com o corpo, a reconciliação com a comida, pode ser um convite para uma verdadeira revolução interior. Para muito além de água com limão em jejum ou salada e proteína no jantar combinado com aeróbico 3x/semana.

E tudo começa quando você para de acreditar que a solução é dieta.

Conheça mais sobre como funciona meus atendimentos aqui

#eagoranutri #nutricionistacomportamental #brasilia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.